A Guerra está aberta! Quem se alista?

brand-new-life
Novo Ano, Vida Nova?
December 31, 2016
a viagem é a mais importante small
O mais importante não é o destino! É a viagem…
February 8, 2017
Mostrar todos
113-fotojonic-martasoareslifecoach

Há uns dias uma amiga pergunta-me "Não achas que é um risco trabalhares a auto-estima com os teus clientes?"
Para ela, o facto de eu já ter tido a auto-estima em baixo limitava o meu trabalho e, por outro lado, nas palavras dela "também tens maus momentos, em que estás em baixo, isso não é um bom exemplo."

A conversa com ela deu o mote a este post, porque creio que é importante perceberes que os problemas ou momentos de infelicidade não desaparecem só porque a tua auto-estima está lá no auge. Acredita que pessoas como o Ronaldo também têm problemas e também têm momentos de infelicidade... e, acredites ou não, também têm momentos em que a auto-estima desce até cá abaixo e eles se põem em causa.

Ao contrário do que pensava inicialmente a minha amiga, eu acredito que, exactamente por já ter tido a auto-estima lá em baixo, sou a pessoa certa para trabalhar com pessoas que estão no processo de recuperarem o seu poder pessoal. Porquê? Porque já por lá passei... até determinado momento da minha vida acreditava que não era "suficiente", nem a nível pessoal, nem a nível profissional. E, ao longo do tempo, as experiências negativas tornam-se o nosso foco e usamo-las como mais uma experiência que prova que não somos "suficiente"... porque afinal não somos inteligentes o suficiente, bonitas o suficiente, práticas o suficiente, organizadas o suficiente, ricas o suficiente, altas o suficiente, magras o suficiente... tudo é razão para não merecermos ser felizes.

Eu sei que qualquer pessoa pode recuperar o seu poder pessoal! Sou a prova viva disso mesmo.
Não sou mais forte que tu... não sou mais nada do que tu. Um dia resolvi aceitar que para recuperar a minha auto-estima tinha de trabalhar e decidi aceitar essa guerra, até porque não sou pessoa de desistir facilmente. Foi então que resolvi agarrar na minha auto-estima, enfiá-la dentro de um balão de ar quente e lançá-la lá bem para o alto... e ela gostou tanto da vista lá de cima que teima em lá ficar. De vez em quando desce aqui à terra, acho que para me relembrar que ela ali está, e rapidamente volta a lançar-se para as nuvens.

Não quero, nem posso ser condescendente ao ponto de te dizer que recuperar a auto-estima é algo que se faz enquanto se dorme e de repente vais acordar cheio de amor próprio. Trabalhar a auto-estima é um emprego para a vida. Acima de tudo, dá muito trabalho... antes de ser bom, é mau... dói, magoa, traz lembranças que queríamos esquecer, faz-nos repensar crenças, valores, comportamentos, atitudes, expectativas e pôr em causa grande parte da nossa vida.
E depois de te descrever o inferno, tenho-te a dizer, que a consequência para quem está disposto a trabalhar arduamente, vale ouro!
Depois de um processo melhor ou pior, o que recebes é tão, mas tão maravilhoso, que vale o trabalho, o esforço e todas as dores que tivemos pelo caminho...

Trabalhar a auto-estima é um emprego para a vida. Acima de tudo, dá muito trabalho... antes de ser bom, é mau...
1. Descobres quem és verdadeiramente, e apercebes-te que não te trocarias por ninguém deste mundo
2. Descobres o que queres verdadeiramente
3. Apercebes-te das pessoas que fazem sobressair o melhor de ti e afastas-te daquelas que te prejudicam
4. Aprendes a valorizar quem és e o que tens e descobres que tens muito para agradecer
5. Aprendes que te bastas... que és tudo o que precisas para ser feliz - e ao contrário do que pensas, isso vai atrair as pessoas que te vão fazer feliz
6. Descobres que para seres quem desejas ser, falta muito pouco e que o que falta é facílimo de atingir
7. Aprendes a lidar com os maus momentos como momentos pontuais que vão passar e que esses momentos não te definem
8. Aprendes novas ferramentas extraordinárias que te permitem ganhares a guerra e todas as lutas pelo caminho
9. Aprendes a dizer Não e a recusar o que não te faz bem
10. E, aprendes a amar a pessoa que és, cheia de defeitos lindos que te caracterizam e fazem de ti a pessoa especial que os outros amam
Ao longo da minha viagem, aprendi tudo isto... fui à procura de todas as ferramentas que ia precisando à medida que as coisas aconteciam e fui reunindo ferramentas (armas) e experiência (de batalha) que vou guardando para cada momento menos bom e, claro, para partilhar contigo...
E sabes o que mais gosto neste processo?
- saber que os momentos menos bons são cada vez mais curtos e cada vez mais raros
- que sou forte o suficiente e tenho as armas certas para lidar com tudo o que vier na minha direcção
- que sou humana o suficiente para, por vezes, gostar de me enfiar debaixo de 1 cobertor todo o dia a ver filmes e a ter pena de mim mesma e saber que essa é uma das coisas que mais amo em mim e que isso não faz de mim fraca, faz de mim humana
- que quem me ama, me ama completamente, com defeitos e tudo... e, curiosamente ainda acham que alguns dos meus defeitos são qualidades ahahah
- que aquelas pessoas que faziam sobressair o pior de mim se afastaram e eu não as quero de volta, porque sei que sou boa demais para eles
- que não há nada que eu não consiga fazer porque tenho-me a mim :)
- que me amo incondicionalmente e que sou mais do que suficiente :)
E tu estás preparado/a para a Guerra? Bora lá! Traz-te a ti, com medos e tudo... eu levo as armas!

A viagem começa dentro de ti... Vamos viajar?

M@rta

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *