A culpa é das Crenças!

castle-1192102_960_720
Vamos virar o S. Valentim de pernas para o ar?
February 13, 2017
falling
Levanta-te! De que esperas?
March 23, 2017
Mostrar todos
PUB QUADRADO1

Somos sujeitos desde crianças a crenças que limitam o nosso sucesso. Muitas dessas crenças evoluem com o tempo para se tornarem ainda piores, fruto de maus resultados ou experiências.

Segunda-feira realiza-se a segunda palestra do Ciclo de Palestras "A Tua Vida Começa Hoje" sob o tema As Tuas Crenças Limitadoras - As Crenças que te impedem de viver os teu sonhos... e, a propósito da palestra, resolvi falar sobre o tema neste post.
Mas perguntas-me tu: O que são Crenças Limitadoras?
Uma crença é algo em que acreditamos de tal forma que condicionamos o nosso comportamento a essa "verdade". Será limitadora toda a crença que, por ser negativa, bloqueia ou nos impede de atingir os nossos objectivos. O maior problema das crenças é o facto delas estarem incutidas no teu subconsciente desde sempre.
Nós vivemos rodeados de crenças. São passadas para nós pelos nossos pais, professores,amigos, comunidade em geral e pela nossa própria experiência. Crenças como "não sou capaz de fazer (algo)", "sou feia demais para alguém gostar de mim", "nunca vou ser feliz", "os outros vão fazer melhor do que eu", "não mereço um aumento", "todos os homens são mentirosos", "todas as mulheres querem casar", "não sou inteligente", "nunca vou ser rico", entre milhentas outras crenças com que vivemos todos os dias, limitam os nossos comportamentos e a atitude com que lidamos com os nossos objectivos.

Tenho uma cliente que me procurou com o objectivo de trabalhar a área do romance. Logo na primeira sessão disse-me aquele que era o motivo porque não conseguia ser feliz no amor: "os homens são incapazes de ser fiéis". Ao longo de 2 horas contou-me todas as histórias amorosas que viveu - homens que não queriam assumir uma relação séria e que acabaram por trai-la. Pedi-lhe então que me explicasse como se sentiu quando descobriu a traição do primeiro namorado que a traiu - não merecedora, inferior, desnecessária, substituível, feia, .... e dava-se o fim da ideia de que o amor era um conto de fadas. Desde essa relação, sem saber, estava a sabotar todas as relações que se seguiam e, inconscientemente, a procurar homens com as mesmas características e padrões. Inconscientemente, ela precisava de confirmar a sua crença e, eventualmente, "curar" a outra pessoa.
Foi quando identificou a crença e assumiu a responsabilidade da sua vida que tudo mudou. Ao longo de várias sessões e de muitos trabalhos de casa, trabalhou essa crença limitadora até desaparecer e ser substituta por um conjunto de outras crenças, nomeadamente focadas nela mesma e no quanto ela merecia alguém especial. Deixou de culpar os homens e de considerar que todos eles eram traidores e assumiu responsabilidade pela pessoa que quer ao seu lado e pelo resultado desse relacionamento.

Um outro cliente procurou-me porque queria um aumento mas tinha medo de o pedir. Ao longo das nossas sessões falou-me do seu sonho de tirar um curso superior e do facto de se sentir inferior aos seus colegas por só ter o 12º. Contudo, a sua formação não o impediu de ser o melhor vendedor da equipa há 4 anos seguidos e de ultrapassar os objectivos da empresa. Infelizmente a sua crença de que não era merecedor do ordenado que tinha por não ter uma licenciatura, impedia-o de se sentir realizado e bloqueava o seu futuro profissional.

O nosso subconsciente é obediente. Costumo frequentemente dizer que funciona como um cão... nós dizemos senta e ele senta, dizemos "eu sou feio/a" e ele acredita, dizemos "sou incompetente" e ele acredita... mas, imagina o potencial quando lhe dizemos "eu conquisto todos os meus objectivos", "eu encontro o meu parceiro ideal", ou qualquer outra afirmação positiva potenciadora de sucesso?

Difícil de acreditar que é possível reprogramar o cérebro dessa forma?
Então vem descobrir algumas técnicas na próxima palestra sobre crenças, já no dia 20 de Março às 19:00.

E não esqueças... a viagem começa dentro de ti.

M@rta
As nossas crenças limitam os nossos comportamentos e a atitude com que lidamos com os nossos objectivos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *